O líder do Solidariedade no Maranhão fez duras críticas ao comportamento adotado pelo estado, destacando que “não existe gestão, nem foco na população carente”.

Diversos políticos têm criticado a resistência do governo do Maranhão em aderir à lei, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), que limita o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre o diesel, a gasolina, a energia elétrica, as comunicações e os transportes coletivos. Desta vez, o pré-candidato ao Palácio dos Leões, Simplício Araújo (Solidariedade), advertiu à gestão de Carlos Brandão.

O líder do Solidariedade no Maranhão fez duras críticas ao comportamento adotado pelo estado, destacando que “não existe gestão, nem foco na população carente” – que mais sofre com a alta do preço.

Para Simplício, “é “preciso urgente fazer alguma coisa pra baixar os preços dos combustíveis”. Pois diversos alimentos, que já estão com preços altos, podem faltar nos supermercados.