Presidente da legenda afirmou que direção já fechou questão sobre apoio a senador e que opositores “estão liberados para procurar outro partido”.

Nesta quarta (13 de julho), o presidente estadual do PSC, deputado Federal Aluísio Mendes, reagiu aos contrários ao apoio do partido à pré-candidatura à reeleição do senador Roberto Rocha (PTB). Em suas redes sociais, Mendes afirmou que “aqueles filiados do PSC que não se sentirem confortáveis com a decisão da executiva estadual, estão liberados para procurar outro partido”.

A fala de Aluísio é uma reação direta ao comportamento do pré-candidato ao governo do Maranhão, Lahesio Bonfim. Nos últimos meses, apesar do acordo selado entre o PSC, PSD, PROS, PL, Avante, Patriota, PDT, Agir, PMN e PTB por uma frente ampla de apoio a Roberto Rocha em oposição ao ex-governador Flávio Dino, o ex-prefeito de São Pedro dos Crentes tem manifestado publicamente apoio à candidatura de Heber Waldo Silva Costa, mais conhecido como Pastor Bel, na disputa pela única vaga de senador nas eleições de 2022.

Ocorre que Bonfim foi de acordo com o apoio a Rocha.

As divergências políticas no partido levaram Aluísio Mendes a convocar Lahesio Bonfim para prestar explicação. O ex-prefeito sempre pede desculpas e promete que a situação não se repetirá. Contudo, sempre após algumas semanas das tratativas com Mendes, Lahesio sempre retorna a manifestar apoio a Bel.

Pessoas ligadas ao partido afirmam que a postura de Lahesio coloca a sua própria pré-candidatura em risco. Interlocutores do PSC explicam que Mendes não está confortável pelas decisões/acordos no partido serem frequentemente desprezadas por Bonfim.

A ruptura com o PSC é improvável, mas o rompimento definitivo não é descartado. Porém, de acordo com as fontes, ainda há a esperança de que Lahesio corrija seus erros e abdique da aventura de apoiar Pastor Bel.