Indígena da etnia Tremembé e pedagoga, Raquel diz que pretende atuar na "defesa de uma sociedade igualitária, sem explorados e oprimidos.
Indígena da etnia Tremembé e pedagoga, Raquel diz que pretende atuar na “defesa de uma sociedade igualitária, sem explorados e oprimidos.

O Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) comunicou que nesta sexta (22) deve acontecer o evento de lançamento da pré-candidatura da indígena maranhense Kunã Yporã de 39 anos de idade , conhecida como Raquel Tremembé, que irá compor a chapa à presidência da República com Vera Lúcia.

Indígena da etnia Tremembé e pedagoga, Raquel diz que pretende atuar na “defesa de uma sociedade igualitária, sem explorados e oprimidos, onde os recursos naturais e a riqueza produzida pelo trabalho do povo sejam todas utilizadas para garantir vida digna a todas e todos, onde seja assegurada a preservação do meio ambiente”.

Integrante da Articulação da Teia de Povos de Comunidades Tradicionais do Maranhão e membro da Secretaria Executiva Nacional da Centra Sindical e Popular (CSP)-Conlutas, a indígena ressalta que o programa de governo da sua chapa é “contra toda forma de opressão”.

“A chapa será composta por duas mulheres, uma operária negra e uma indígena, onde temos o desafio de apresentar um programa socialista contra toda forma de exploração e opressão”, afirma a pré-candidata.

Atráves das redes socias, Vera Lúcia ressaltou que a pré-candidata à vice-presidência irá compor uma chapa “revolucionária e socialista”.