Mesmo afundado em escândalos de corrupção, Flávio Dino volta a apostar na covardia de seus adversários e parte com tudo para cima do senador

Em publicação divulgada neste domingo (24 de julho), o ex-governador Flávio Dino (PSB) afirmou que “Senado não é lugar de ladrão do orçamento secreto”. Apesar dos demais candidatos, a eleição para Senado neste ano é considerada plebiscitária entre Roberto Rocha (PTB) e o próprio Dino. Dessa forma, o ataque de Dino foi uma indireta ao senador.

Apesar de ser mandatário de um governo envolto em escândalos de corrupção, Flávio Dino tem insuflado aliados nas últimas semanas a acusar Roberto Rocha de fazer parte do suposto escândalo do “orçamento secreto”.

Após ser chamado indiretamente de ladrão, Roberto Rocha pediu a Flávio Dino que desse o nome ladrão a qual ele se referia em suas redes sociais.

O comunista já é conhecido pela tática de atacar aliados de forma indireta. Foi assim contra João Castelo (2008), Roseana e Jackson Lago (2010), Lobão Filho (2014) e contra Roseana (2018) na última eleição. Em nenhuma das ocasiões os adversários tiveram a coragem de atacar Flávio Dino como foram atacados por ele.

Neste ano, mesmo Flávio Dino sendo principal suspeito de sumir com milhões de reais que deveriam servir para comprar respiradores em 2020 e sacando R$ 1.3 bilhão do Fundo Especial de Pensão e Aposentadorias dos funcionários do estado (FEPA), tudo indica que Rocha não irá acusá-lo de ter roubado estes recursos. Nem Rocha e nenhum de seus principais adversários.

A disputa deve ser mais um banho do discurso comunista contra adversários acovardados.