A determinação da Justiça Eleitoral tem por objetivo evitar o desequilíbrio entre candidatos que vão disputar o pleito de 2 de outubro.

A três meses do primeiro turno das Eleições 2022, gestores de todo o Brasil estão proibidos a partir deste sábado (2) de participar de eventos públicos.

A determinação da Justiça Eleitoral tem por objetivo evitar o desequilíbrio entre candidatos que vão disputar o pleito de 2 de outubro. Outro motivo é barrar os casos de abuso de poder econômico.

A partir deste sábado, nenhum candidato pode comparecer a inaugurações de obras públicas. Os governos também estão proibidos de realizar publicidade institucional, ou seja, um governador que tenta a reeleição não pode, por exemplo, ter os atos divulgados, como obras, serviços e campanhas.

O governo federal, por exemplo, não pode manter nem mesmo as redes sociais institucionais atualizadas.

A próxima publicação deve ocorrer apenas depois das eleições. Essa determinação eleitoral é invalidada apenas em casos de urgência. Governantes também não podem demitir funcionários públicos até o final das eleições. A regra vale ainda para contratações, que ficam vedadas nos próximos meses.