Desempenho da Corte é considerado “bom” ou “ótimo” por 24% dos brasileiros, variação de 4 p.p. para cima desde março.

Pesquisa PoderData realizada de 19 a 21 de junho mostra que o trabalho dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) é avaliado como “ruim” ou “péssimo” por 41% dos entrevistados.  Os que consideram o desempenho da Corte “regular” são 33%, enquanto 24% avaliam o Supremo como “bom” ou “ótimo”. 

A taxa dos que aprovam o trabalho do Supremo oscilou acima da margem de erro de 2 pontos percentuais. No levantamento realizado de 27 a 29 de março, era de 20%.

No comparativo com a Câmara (12%) e o Senado (9%), o STF mantém a melhor avaliação positiva entre os Poderes desde o final de março de 2021, quando a pergunta sobre o trabalho do Congresso Nacional foi feita pela 1ª vez pelo PoderData.

A pior avaliação do Supremo foi registrada na rodada de 29 a 31 de março de 2021, mesmo mês em que o ministro Edson Fachin determinou a anulação de todas as decisões tomadas pela 13ª Vara de Curitiba nas ações penais contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Na ocasião, o desempenho do STF foi considerado “ruim” ou “péssimo” para 42% e “bom” ou “ótimo” para 16%. 

A pesquisa foi realizada pelo PoderData, empresa do grupo Poder360 Jornalismo, com recursos próprios. Os dados foram coletados de 19 a 21 de junho de 2022, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 3.000 entrevistas em 302 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. O intervalo de confiança é de 95%. O registro no TSE é BR-07003/2022.

Para chegar a 3.000 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, são mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.