O crescimento reflete a afirmação do presidente Jair Bolsonaro que ressaltou as políticas “do fica em casa” impediam trabalhadores de tentaram sobriver durante a pandemia.

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil teve um crescimento de 1,5% nos três primeiros meses de 2022, em comparação com os três últimos de 2021, de acordo com estimativa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgada nesta terça (17/05).

O crescimento reflete a afirmação do presidente Jair Bolsonaro que ressaltou sobre as políticas “do fica em casa” impediam trabalhadores de tentaram sobriver durante a pandemia.

“Passamos por momentos difíceis com a pandemia, durante a qual muitos embarcaram na historinha do ‘fica em casa, e a economia a gente vê depois.’ Lamentavelmente, muitos governadores destruíram empregos e renda, especialmente dos mais pobres”, afirmou o presidente. “Mas estamos voltando à normalidade”, disse.

Agora, segundo os dados, na passagem de fevereiro para março deste ano, o crescimento do PIB foi de 1,8%. Na comparação anual, o aumento do ficou em 2,4% no trimestre e em 4,2% no mês.

De acordo com a estimativa da FGV, o consumo das famílias cresceu 3,4% no primeiro trimestre, na comparação interanual, puxado pelo consumo de serviços.

As principais influências para o desempenho positivo foram os serviços de alojamento, alimentação e domésticos. Já o consumo de bens duráveis caiu 6,7%, o único com queda