Esposa do presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), se tornou a primeira mulher a comandar o município.

A enfermeira Ana Paula Lobato tomou posse como prefeita de Pinheiro, nessa segunda (17), em caráter interino, devido ao afastamento do prefeito Luciano Genésio. Ela é a primeira mulher a comandar o município e foi empossada pelo presidente da Câmara, vereador Elizeu de Tantan.

Ana Paula, que também é esposa do deputado Othelino Neto (PCdoB), presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, assumiu o comando da Prefeitura anunciando o seu primeiro decreto, cujas normas tratam sobre as novas medidas sanitárias que passam a valer na cidade a partir hoje (18).

“Voltaram a aumentar os casos de COVID-19 e outras síndromes gripais, gerando novamente pressão sobre a rede pública de saúde”, disse a prefeita ao anunciar o reforço de ações nas unidades hospitalares da rede municipal, ressaltando que, no período em que estiver à frente da prefeitura, estará dedicada aos cuidados do município de Pinheiro, junto com o secretariado e demais servidores neste momento de dificuldade com o sistema de saúde por conta do aumento dos casos do novo coronavírus e síndromes gripais.

A posse de Ana Paula contou com a presença do presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto. Na oportunidade, ele parabenizou a prefeita e disse que irá continuar encaminhando emendas parlamentares, indicações e outros benefícios para a cidade de Pinheiro. Em seu discurso, Ana Paula demonstrou lealdade ao prefeito afastado Luciano Genésio e alegou aguardar que ele possa retornar, brevemente, à Prefeitura após se defender junto à Justica.

“Registro, com ênfase, que esta não é a forma que eu gostaria de exercer interinamente o mandato de prefeita da minha querida Pinheiro. Espero que o companheiro Luciano, após se defender junto à justiça, consiga com brevidade reassumir a prefeitura”, afirmou.

Operação da PF

A Operação Irmandade foi deflagrada pela Polícia Federal, na última quarta (12), com o objetivo de desarticular organização criminosa estruturada para promover fraudes licitatórias, desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro no Município de Pinheiro. Segundo a investigação, o prefeito de Pinheiro tinha ligação com empresas citadas e, por conta disso, foi afastado da função.

Luciano Genésio recorreu da liminar que o afastou do cargo de prefeito e já formulou sua defesa alegando inocência através do não recebimento de dinheiro e apontando a origem do valor.