Esquema consistiria na liberação de recursos a prefeitos, após chantagem, com a exigência de que eles se filiassem ao DEM

O deputado federal Hildo Rocha (MDB) acusa o ministro da Saúde, Luís Henrique Mandetta, de usar recursos da saúde para chantagear um prefeito do interior do Maranhão para que ele se filiasse ao DEM. De acordo com a denúncia, tornada pública inicialmente pelo presidente da Câmara Municipal de Imperatriz, vereador Jose Carlos Soares, o ministro liberou mais de R$ 43 milhões do Ministério da Saúde para que o prefeito Assis Ramos, da segunda maior cidade do estado, se filiasse o DEM, partido do ministro. Poucos dias após a liberaçao Assis entrou para o DEM.

Os recursos da saúde que foram repassados ao município de Imperatriz por meio do Fundo Nacional de Saúde para o Fundo Municipal da cidade em 2019.

“Falei perante o presidente Rodrigo Maia sobre as acusações de corrupção com dinheiro do Ministério da Saúde, em Imperatriz, por entender que são muito graves. A acusação, a meu ver, tem muito sentido, porque após, uma reunião do ministro Mandetta com o prefeito de Imperatriz, Assis Ramos, ele se decidiu imediatamente por ingressar no mesmo partido político do ministro. O mais grave é que após a filiação o município de Imperatriz recebeu R$ 43 milhões de reais em menos de uma semana, oriundos do Fundo Nacional de Saúde. Recursos esses de responsabilidade exclusiva do ministro da saúde, Henrique Mandetta”, disse o deputado.

Hildo solicitou a instalação urgente das comissões permanentes a fim de que essa denúncia possa ser investigada o mais rápido possível.

“Deputado Rodrigo Maia, uma das prerrogativas e também obrigações dos parlamentares é justamente fiscalizar os recursos públicos e nós estamos impedidos, nesse momento, de fazer isso porque as comissões permanentes, como a de Fiscalização e Controle, ainda não foram instaladas. Então, quero pedir a V. Exa. que instale logo essas comissões permanentes. Hoje, já dispomos de meios para fazê-las funcionar, tendo em vista os recursos tecnológicos que a Câmara dos Deputados já adquiriu”, argumentou Hildo Rocha.